Edge computing 2
 

Edge Computing: saiba a importância da computação de borda para empresa

Edge computing, ou computação de borda, é uma nova forma de diminuir a latência do processamento, envio e compartilhamento de dados coletados a partir de dispositivos externos (tais como sensores, câmeras, etc.).

O edge computing utiliza gateways de borda para analisar todos os dados criados por um equipamento, e depois envia somente os dados relevantes para a central. Computação de borda é utilizada em soluções de IoT e também com conexão 5G que não precisariam enviar dados para uma central de processamento que poderia estar a quilômetros de distância.

Pode parecer complicado quando explicamos assim, mas vamos usar um exemplo para deixar mais fácil a compreensão do que é edge computing.

Imagine os carros autônomos que não precisam de motorista. O processo de tomada de decisão do carro não pode ter uma latência muito grande, afinal isso pode causar acidentes e até custar vidas.

Para diminuir essa latência, o carro deveria possuir um gateway de borda, um equipamento capaz de processar esses dados, ou ainda enviar para a nuvem para serem processados e analisados. Depois, a partir daí, receber a decisão mais acertada para cada situação.

Mas vamos explicar melhor sobre como isso funciona e por que o edge computing é importante para a transformação digital das empresas.

Como funciona o edge computing?

Edge computing é uma estratégia para diminuir a quantidade de dados circulando dentro da rede e evitar a sobrecarga de informações e maior tempo de processamento.

Para fazer isso é feita a instalação de equipamentos que atuariam como “filtros” mais perto da fonte de emissão desses dados. Assim, esses equipamentos filtrariam os dados e enviariam somente as informações relevantes para a central de processamento.

Aliás, é daí que vem o nome edge computing, ou computação de borda, onde os equipamentos responsáveis por processar os dados não estão no centro da rede, mas nas bordas.

Eles recebem os dados criados, analisam e separam os que são realmente relevantes e os enviam para serem processados. Assim, mesmo com um número maior de equipamentos dentro de uma rede, a quantidade de dados não é grande para congestionar e aumentar a latência das informações.

No nosso exemplo do carro autônomo, as informações sobre temperatura, ar-condicionado ou música não são relevantes para o veículo visualizar o sinal vermelho e parar. O gateway de borda descarta essas informações, porque elas não são importantes para a tomada de decisão de parar até a troca do sinal. Assim, com menos dados ocupando espaço na rede, menor será o tempo de tomada de decisão do carro.

Edge computing ainda está crescendo, mas já vem conquistando espaço dentro de muitas empresas. Quer saber por quê?

O crescimento do edge computing

Apesar de exigir uma adaptação e um investimento de dinheiro por parte das empresas, muitas delas começaram a implementar o edge computing em seu dia a dia. O uso está sendo comum em fábricas e também empresas de segurança, por exemplo.

Em uma fábrica, a maioria dos equipamentos já são máquinas mais avançadas ou robôs. Com o edge computing, a capacidade de tomada de decisão das máquinas torna-se maior e mais ágil ao não depender de enviar todos os dados para uma central e esperar que eles sejam processados.

Já numa empresa de segurança, imagine ter que enviar as imagens de todas as câmeras de segurança. Ou ainda em uma plataforma de extração de petróleo, já pensou se uma central deve ser responsável por analisar uma quantidade gigante de informações enviadas por sensores?

Atualmente, a computação de borda exige experiência e conhecimento para uma implementação de sucesso, por isso muitas empresas não conseguiriam fazer esse tipo de investimento sozinhas. Daí a necessidade de firmar parceria com uma empresa especialista em edge computing para uma consultoria é uma boa ideia.

Assim, sua empresa evita o desperdício de recursos com uma estratégia falha de edge computing, e pode fazer a migração para a computação de borda de modo mais organizado e que permita uma adaptação mais tranquila para a cultura e time da sua empresa.

Quais suas vantagens da computação de borda para os negócios? 

Nós já mostramos a importância do edge computing para acelerar o processamento de dados de uma empresa, mas quais são as outras vantagens do seu uso?

  • Menor Custo de rede após a instalação, já que possui diversos gateway de borda;
  • Menos atrasos para o envio de dados;
  • Evita limites de largura de banda;
  • Diminui a latência da rede;
  • Mais controle sobre os dados confidenciais;
  • Restringe falhas no serviço;
  • Experiência mais rápida para os usuários;
  • Tempo menor de carregamento;
  • Aumenta a disponibilidade devido ao monitoramento em tempo real.

Além dessas vantagens do edge computing, que são mais estruturais e voltadas para os processos internos das empresas, ainda há os efeitos mercadológicos. Afinal, essa evolução tecnológica faz parte da transformação digital, que se caracteriza por otimizar e agilizar processos usando a tecnologia, o que auxilia deixar as empresas mais competitivas devido à alta velocidade e implementação tecnológica.

A Lenovo também possui soluções para edge computing, você pode saber mais sobre como podemos ajudar sua empresa a entrar nessa revolução de ponta.

Acesse aqui sobre edge computing Lenovo.

 

Tudo que sua empresa precisa saber sobre infraestrutura hiperconvergente