Gerenciamento de crise para médias e grandes empresas
 

Gerenciamento de crise para médias e grandes empresas

Médias e grandes empresas precisam estar preparadas para imprevistos nos negócios. A palavra “crise” assusta a maioria dos empreendedores, mas é preciso tocar no assunto para desenhar soluções e respostas rápidas para aplicar um gerenciamento de crise.

Manter o negócio saudável também implica em saber lidar com imprevistos e ter informações corretas para gerenciar crises.

Uma pesquisa da Deloitte mostrou que mais de 41% de 300 líderes de companhias já enfrentaram situações de crise e notaram o impacto em suas marcas. Entre os riscos mais nocivos, 87% alegaram que ter a reputação depreciada é um pesadelo. 

Não sabe por onde começar? Fique tranquilo que vamos te mostrar como criar um plano eficiente nas linhas abaixo.

 

Gerenciamento de crise para empresas: como fazer?

Um dos grandes diferenciais de empresas que conseguem lidar melhor com a crise e as que encontram maiores dificuldades é a capacidade de tomar decisões rápidas. E rápido não significa escolher a primeira solução que aparecer.

A agilidade acontece porque a empresa já possui um plano de gerenciamento de crise e consegue apontar o melhor caminho para a recuperação. Existem vários departamentos da organização que podem ser afetados pela falta de um planejamento antecipado e é isso que precisa ser evitado. 

Funciona basicamente assim: uma crise econômica pode impactar a equipe interna e uma crise de imagem pode influenciar nas vendas e parcerias com fornecedores. Pensando no negócio como um grande ecossistema, é importante se atentar para todos os detalhes que acontecem no ambiente interno e externo. Mas, como fazer isso na prática?

 

1. Diagnóstico de crise

Quando o inesperado acontece, muitos empresários ficam perdidos com a chuva de dicas e informações que recebem. Já imaginou o quanto a reputação corporativa pode ficar prejudicada por um crime cibernético? 

Para lidar com uma crise, é preciso respirar fundo e entender como tudo aconteceu e qual a percepção das pessoas sobre o ocorrido. Para isso, o diálogo é fundamental:

  • Converse com a equipe e conheça diferentes pontos de vista;
  • Entenda o que os clientes estão falando;
  • Leia opiniões nas redes sociais.

Ouvir o que outras pessoas têm a dizer é um excelente caminho para conhecer outras perspectivas e partir para o próximo passo!

 

2. Mapeamento de crise

Depois de conversar com mais pessoas, é importante entender melhor o impacto e as possibilidades para partir para o gerenciamento da crise. É hora de mapear o que está acontecendo e preparar para a tomada de decisão. 

 

3 perguntas vão te ajudar neste processo:

  1. Quais os pontos de maior fraqueza?
  2. Como posso solucionar a curto, médio e longo prazo?
  3. Quais ferramentas podem me ajudar?

A resiliência para lidar com momentos de crise deve ser um assunto em comum na diretoria da organização. Com uma equipe engajada em solucionar o problema e encontrar a melhor saída, os resultados virão! 

Entenda que não é do dia para a noite e, muitas vezes, passar por uma crise leva tempo. Siga em frente!

 

3. Tomada de decisão

Com as informações em mãos, é possível decidir quais pontos, prazos e ferramentas podem ajudar no gerenciamento de crise para médias e grandes empresas. As decisões vão ser exclusivas de cada segmento, tipo de negócio e problema, mas existe um ponto principal: as decisões precisam ser tomadas.

Se existe ruído, seja de um cliente insatisfeito, uma notícia que não condiz com a realidade ou movimentos nas redes sociais capazes de arranhar a imagem do negócio, fingir que nada está acontecendo não é a melhor opção. 

Analise, analise e analise novamente. Depois, siga em frente e tome a melhor decisão para a empresa! Os consumidores, fornecedores e colaboradores estão cada vez mais alinhados com empresas que mostram o lado humano e, infelizmente, errar faz parte da caminhada.

 

Guia de Gerenciamento de Crise

Não espere a crise aparecer para entender a importância de ter estratégias pré-definidas para lidar com ela. O Guia de Gerenciamento de Crise é um material desenvolvido em conjunto com diversas áreas da empresa, para estruturar o que pode acontecer e quais os melhores caminhos a serem seguidos.

Faz parte da estratégia do negócio simular cenários. Para desenvolver o guia, você vai precisar seguir alguns passos:

  1. Comitê de Crise: convide pessoas de todas as áreas da empresa e converse sobre riscos, possibilidades e experiências de cada setor. A Matriz Swot é uma ferramenta que pode ajudar muito neste processo;
  2. Enumere os graus de possíveis crises: se uma loja de eletrodomésticos vende um produto com defeito e resolve o problema através do SAC, o impacto é menor. Mas, se o cliente divulga nas redes sociais e ganha proporções enormes, há outro tipo de prejuízo para a marca;
  3. Desenvolva um documento: se você não tem uma equipe de marketing completa, escreva com ajuda de outros profissionais da empresa e crie um documento que poderá ser consultado a qualquer momento.

Ter um guia vai ajudar bastante na hora de evitar que a reputação e rentabilidade da empresa sejam prejudicadas. 

Agora que você já sabe quais as melhores práticas para um gerenciamento de crise para médias e grandes empresas, recomendamos outra leitura: Gestão de fornecedores: dicas para trocar de fornecedor sem impactar a produção.


Até a próxima!

Lenovo: Soluções em TI para a Transformação Inteligente da sua empresa