Redução de custos sem redução da capacidade de computação. Saiba mais
 

Redução de custos sem redução da capacidade de computação. Saiba mais

A redução de custos que não se reflita na qualidade do trabalho e dos serviços ou produtos oferecidos por uma empresa é um dos grandes desafios de qualquer organização.

Garantir um ambiente que ainda seja saudável para acomodar tanto o orçamento quanto o crescimento da empresa é essencial. Esse problema fica ainda mais evidente quando falamos da área de TI, afinal os equipamentos geralmente custam muito caro e demandam uma equipe especializada para manter tudo rodando perfeitamente.

Uma boa forma de garantir isso é avaliando o TCO (Total Cost of Ownership, ou, Custo Total de Propriedade).

O que é o TCO e qual a sua importância para a redução de custos?

O TCO é uma ferramenta que ajuda a desenvolver a infraestrutura de TI, processo de governança e também no Retorno do Investimento (ROI), sendo ainda responsável por ajudar a reduzir custos e manter a qualidade dos projetos entregues.

Mais do que ser uma etapa do processo, o TCO envolve diversas áreas, processos, pessoas e tecnologia. E é importante para ajudar a tomar decisões dentro do departamento de TI, já que elas vão impactar também em toda a empresa e seus clientes. Como ferramenta de análise ele traz uma estimativa financeira, proporcionando uma visão melhor para a empresa sobre custos diretos e indiretos de todos os componentes e investimentos previstos, como compras de equipamentos e serviços, assim como os gastos para mantê-los operando plenamente e também de pessoal.

A escolha de hardware e software é melhor avaliada através de um bom cálculo de TCO, porque reduzir custos não significa escolher o que for mais barato, mas o que é mais adequado para a empresa e poderá trazer mais ganhos em outras áreas. Um sistema caro não garante maior eficiência para a sua empresa, tudo depende das necessidades que o negócio demanda.

Para ajudar a saber como e onde é possível reduzir custos, continue lendo!

Dicas para redução de custos

A redução de custos não precisa ser exatamente cortar gastos, pode ser a implementação de uma nova tecnologia que acabe por custar menos de modo geral para a empresa. Nós separamos algumas dicas que focam nisso e também em ações que podem ser tomadas para ajudar sua empresa a reduzir os custos em TI.

Nuvem

A nuvem surgiu como uma solução para muitas empresas ganharem em mobilidade, principalmente durante a pandemia de COVID-19. Porém, uma das outras vantagens do uso da nuvem, em muitos casos, é a sua capacidade de ajudar na redução de custos. Isso porque com a nuvem sua empresa pode ganhar em:

  • Investir menos em hardware para aumentar;
  • Redução do tempo gasto em manutenção dos servidores;
  • Aumentar ou diminuir a capacidade de armazenamento de acordo com sua demanda;
  • Pagar somente pelo que é consumido;
  • Custos com energia para manter a infraestrutura e o data center operando.

Hoje a nuvem ainda é uma das opções mais populares para quem deseja reduzir os custos com TI, mas sem precisar cortar na própria carne. Fora isso, a vantagem mais comum da nuvem se mantém: a gestão centralizada de aplicações e  acesso aos dados necessários pelos colaboradores de onde estiverem e usando o dispositivo que quiserem.

Você pode saber mais sobre isso aqui.

Virtualização de servidores

A virtualização de servidores é também indicada para reduzir custos com hardware, mas sem perder capacidade de armazenamento e processamento. A virtualização, de forma simples, divide o espaço interno de um servidor em vários servidores digitais. Com isso, a capacidade de processamento é repartida entre eles, já que compartilham uma mesma máquina.

Algumas das vantagens da virtualização são:

  • Redução de custos com energia, já que os servidores são virtuais;
  • Menos investimento em hardware;
  • Menos gastos com manutenção;
  • Maior capacidade de processamento ao utilizar toda a capacidade das máquinas, até mesmo o que estiver ociosa;
  • Implementação e configuração simples.

Hiperconvergência

A hiperconvergência também utiliza a virtualização, mas a sua infraestrutura, neste caso, seria composta pela virtualização do armazenamento, processamento e também de rede. Ou seja, ela combina componentes virtuais e físicos em um único sistema controlado por software.

Assim, esses componentes são integrados em um único lugar, proporcionando mais agilidade e capacidade de computação enquanto reduz custos com infraestrutura. É possível, dessa forma, reduzir a complexidade do gerenciamento do data center.

Saiba mais sobre sistemas hiperconvergentes aqui.

As-a-Service

O conceito de As-a-Service nada mais é do que pagar somente pelo serviço e não por um produto em si. Empresas conhecidas como provedoras são as responsáveis por criar, manter e atualizar os produtos, enquanto sua empresa só pagará a assinatura do serviço que for usar. Com isso é possível reduzir os custos com equipamentos físicos, mas sem perder nenhuma capacidade de computação. Aliás, com uma solução As-a-Service é possível ter sempre as tecnologias mais recentes e ter mais agilidade ao escalonar seus processos.

Os tipos mais comuns de As-a-Service são:

  • SaaS (Software as a Service)
  • IaaS (Infrastructure as a Service);
  • PaaS (Plataform as a Service);
  • XaaS (Everything as a Service).

Você pode saber mais sobre isso aqui.

O que sua empresa pode fazer?

Sua empresa pode aplicar uma ou todas as soluções propostas para reduzir os custos, uma vez que elas não prejudicam a capacidade de computação ou sua operação.


Enfim, existem ainda outras atitudes que sua empresa pode tomar para ajudar na redução de custos, como investir na transformação digital - saiba porque aqui. Mas, antes de levar em conta nossas dicas, considere sempre o panorama atual e futuro da sua empresa.